quarta-feira, 13 de abril de 2011

"VENHA COMO ESTIVER"


VENHA

COMO ESTIVER

ACERCATE DE MI

VENHA & SEJA

COMO FOR

MAS VENHA

NA POLPA DA PALAVRA

NO OSSO DA POESIA

VENHA COMIGO PERDER-SE

NUM SOLO DE MILES

EN EL CUERO

DE LOS TIMBALES

AHORA SE QUE TE VI

COME WITH ME

BUT NOT SO FAST

SUAVE NO MÁS

AHORA QUE APARENTAS

ESTAR AQUI

ALAMBRE DULCE

COME AROUND

IN A CENSORED

PRINCE SONG

COME AS YOU ARE

DESPIDA DE TUDO

NUMA INCONTIDA RISADA

PORTAS  E FENDAS

ESCANCARADAS


I’VE HEARD RUMOURS

YOU’VE BEEN HUSTLING

IN HONG KONG

NO MATTER HOW PURE

DON’T MIND IF YOU LIE

I DON’T BOTHER WITH WHOM

YOU FAKE A SIGH

BUT COME

WITH ME

BEFORE I DIE

COME ON

I BEG YOU

COME

OVER ME

POETRY


Igor Marques

março & abril/2011


3 comentários:

  1. Jandira Lúcia de Mello25 de abril de 2011 21:22

    muito boa essa mistura de diversos códigos para reiterar que a poesia não é limitada a cógigos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Jandira. Trabalho o poema imerso numa salsa linguistico-musical sobre um caldo espesso de palavras, expressões idiomáticas, fragmentos de canções populares americanas, inglesas, hispano-americanas que permeiam meu dia a dia há anos, repercutindo de forma subliminar,semânticamente, no que escrevo.

    ResponderExcluir
  3. Gostei para béns de todos que acessam, lindo blog, e otima estética!!! as conversas evoluem para amizades e assim a vida e a humanidade vão se reconhecendo entre os seus! grata por abrir espaço!!! Adriane

    ResponderExcluir

Veja outras matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...