quarta-feira, 9 de junho de 2010

fecho os olhos / sou todo ouvidos


fecho os olhos
sou todo ouvidos
blind faith
no such thing as
blood
sweat & tears
harto de huir
ciego de.ver
farpa de palavra
hartate de harpias
em mergulho
na perpendicular
o alvo
cardumes
farrapos de palavras
à deriva
huellas
en el mar
de puro olvido


Igor k Marques
26 de janeiro/2003
 

segunda-feira, 7 de junho de 2010


ao cineasta de
a faca na água
& cul de sac

sua fase noir
me incita ao mergulho
no lago escuro
o mundo esquerdo
é logo ali
do outro lado
no canto do olhar
na palavra oculta
já posso sentir
seu discreto
pulsar



Igor Marques
3 de março/2002

domingo, 6 de junho de 2010

a escrita espessa . caldo grosso


a escrita espessa
caldo grosso
excreto porra
a seiva do caule
saliva da fala
exceto o pó
a borra
o farelo
dejeto do falo
retórico melaço


Igor Marques
2 de maio/2006



ainda o eco de um tambor
repercute dentro
nos tímpanos
de minha escuta plena
fones colados
em ouvidos atentos
entre centenas de vozes 
de meu novo réquiem de Mozart
(help me rise above this ceiling)


Igor Marques
31 de janeiro/2008 



in my heart
still the echo
of steel drums
stealing mellow dramas
from soap operas
hartome de verte
dreaming still
sueños de acero dulce
bañada en azules
luces banales de un monitor
de TV

Igor Marques
30 de janeiro/2008



quinta-feira, 3 de junho de 2010

e digo + e + / again & again



e digo + & +
again & again
say something
don't give up
play your thing
suzano's tambourine
write your black & white 
poetic statements
rítmico padrão
out of the black
and into the blue


Igor Marques
2 de agosto de 2006


até secar
pinta
 do quase lodo
à plena canção
êxtase de asceta
 orgasmo 
espasmo de prostituta
até  me exaurir
na última gota
preparo o leito da imagem
irrompendo astuta
na superfície do papel


Igor Marques
2 de agosto de 2006

terça-feira, 1 de junho de 2010

calo.e.falo



*.DE.QUE.FALO.?

.CALO.
.E.FALO.E.CALO.E.FALO.
.E.CALO.E.FALO.E.CALO.

.FALO.
.E.CALO.DO.QUE.FALO.
.E.FALO.DO.QUE.CALO.
.QUANDO.CALO.

.FALO.



*passo a passo:

som + silêncio = música
calar + falar = poema
falar + falar = ruído
calar + calar = morte


Igor Marques
2006/2011

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Veja outras matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...